sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O Improvável

Tive oportunidade de visitar o distrito de Xerém em Duque de Caxias dias após a tragédia causada pelas fortes chuvas da madrugada do último dia três de janeiro. Os que me conhecem sabem que absolutamente não sou dado a curiosidades mórbidas – tipo ir ver mortos de desastres ou coisa do gênero.  Estive lá exatos oito dias quando muito do que aconteceu já estava descaracterizado. Também não estive nos piores lugares onde, até porque ainda não está totalmente liberado o acesso. O que vi? Muita destruição, muita gente na rua, muita poeira. Vi também as provas irrefutáveis da tragédia – as marcas de água nas paredes e nos muros – 1,70 em alguns pontos. Marcas que por certo lá ficarão por muito tempo para lembrar aqueles que sofreram e tentam esquecer. Alguns lugares que estive se não tivesse as marcas diria que seria improvável acontecer aquilo, mas eu vi e elas estão lá. Amigos, já vivi o suficiente para entender que não existe nada improvável nesta vida e principalmente em se tratando da natureza. Por mais que tenha avançado a ciência a natureza ainda se reserva o direito de romper com as estatísticas. Uma senhora me disse: “Moro aqui a quarenta e três e nunca vi nada igual – nunca imaginei que pudesse acontecer.” O fato é que nos últimos três anos foram exatamente três tragédias causadas pela improbabilidade da natureza. Dá para pensar. E o que fica de tudo isso é o exercício da SOLIDARIEDADE E COMPAIXÃO. Esse sim é um fato importante; a mobilização de milhares de pessoas em prol daqueles que foram vítimas daquele desastre. Quão gratificante é saber que aqui sim não existe improbabilidade – a ajuda e mobilização é certa – nosso amigo disse; “Fiquei impressionado com solidariedade das pessoas; gente que eu nunca tinha visto trazendo quentinha, água e palavras de conforto”. Outros desastres poderão acontecer e não saberemos onde, mas a natureza humana dará a resposta em tempo e medida necessária. Àqueles que passaram pelo sofrimento fica a certeza de que sairão renovados, pois a vida continua como projeto de Deus. “ Eis Que faço novas todas as coisas.” Apoc. 21,6      

Nenhum comentário:

Poverello de Assis

Oração de são franscisco



Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz !Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão, Onde houver discórdia, que eu leve a união, Onde houver dúvidas, que eu leve a fé, Onde houver erro, que eu leve a verdade, Onde houver desespero, que eu leve a esperançaOnde houver tristeza, que eu leve a alegria, Onde houver trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, Pois é dando que se recebe é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a VIDA ETERNA !


Esta oração foi feita após o pedido de clemência do papa Inocêncio III "arrependido" pelas cruzadas e muito enfermo. Francisco, duvidando de seu arrependimento, fora chamado a atenção pelo Pai pedindo piedade ao agonizante. São Francisco atendeu o pedido, admitindo humildemente sua ignorância.

Às vezes nos limitamos a reclamar da vida - vejam um exemplo de superação.

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget