sábado, 19 de outubro de 2013

Está aberta a discussão...

De vez em quando os autores das novelas da Globo resolvem colocar em suas tramas  assuntos chamados de polêmicos. Isso tem se tornado frequente nos últimos anos. Se questionados sobre a real motivação dirão sem pestanejar que é uma contribuição para com a sociedade trazendo para discussão, temáticas envolvendo discriminação, certas doenças e ou mesmo alguns ditos tabus. Dificilmente não teremos hoje nas produções cinematográficas, teatrais ou até mesmo nas novelas um personagem homossexual. Neste caso contribuem também para a qualidade das obras uma vez que com raríssimas exceções esses personagens imprimem características de sensibilidade e ternura às obras. Tratar de doenças graves contribui para esclarecer e encorajar a população para enfrentar aquela moléstia. Para aqueles que como eu assiste às novelas não deixa de serem incômodas às cenas onde, por exemplo, uma determinada personagem é humilhada por ser gorda. A realidade e a dureza das cenas chocam sobremaneira nós ouvintes. Chegamos achar que há certo exagero nas palavras e de fato há – o autor é livre para falar o que quiser e na intensidade que bem entender. Pois bem; deixemos esses detalhes de lado e pensemos na real contribuição destas inserções nas telinhas da TV. Considerando somente a Globo com 150 milhões de telespectadores sendo que uns 60% assistem as novelas. Temos então uns 90 milhões de pessoas provocadas pelos temos acima. De fato provoca nas pessoas toda sorte de sentimento; desde indignação e revolta até a vontade de lutar e contribuir para mudar aquelas situações muitas vezes deprimentes vividas pelos personagens. Aqui sim vemos a verdadeira contribuição. A provocação. Este ainda é melhor meio de forçar uma mudança – mostrar de forma nua e crua como aquelas práticas afetam a vidas das pessoas. Lembram-se das mulheres traficadas para a Turquia? Na própria causa dos homossexuais mesmo. Amigos acho que devemos ter em grande estima estes escritores que têm coragem de abordar estas questões. Se de fato teremos resultados práticos não importa muito. O que importa é que o tema foi colocado à mesa para discussão. Usar a ficção para tratar da realidade que nos aflige é, sobretudo um grande serviço à sociedade. 

Nenhum comentário:

Poverello de Assis

Oração de são franscisco



Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz !Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão, Onde houver discórdia, que eu leve a união, Onde houver dúvidas, que eu leve a fé, Onde houver erro, que eu leve a verdade, Onde houver desespero, que eu leve a esperançaOnde houver tristeza, que eu leve a alegria, Onde houver trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, Pois é dando que se recebe é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a VIDA ETERNA !


Esta oração foi feita após o pedido de clemência do papa Inocêncio III "arrependido" pelas cruzadas e muito enfermo. Francisco, duvidando de seu arrependimento, fora chamado a atenção pelo Pai pedindo piedade ao agonizante. São Francisco atendeu o pedido, admitindo humildemente sua ignorância.

Às vezes nos limitamos a reclamar da vida - vejam um exemplo de superação.

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget