segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

2010 - O Prazer de Uma Boa Leitura

Entendo não ser nada fácil escolher um bom livro hoje em dia. São tantas as opções que na hora de comprar um livro ficamos cheios de dúvidas. Eu de forma muito paciente, perco algum tempo na internet, nos sites das melhores livrarias lendo as sinopses dos livros numa tentativa de identificar o que pode me agradar e me dar prazer ao ler. Devo confessar que tenho tido sorte. Este ano de 2010, tive a oportunidade de ler 15 livros. Comecei com um livro bomba. Deus, Um Delírio de Richard Dawkins – Cia das Letras. Os poucos amigos que comentei estar lendo Dawkins não gostaram e nem sequer quiseram ouvir sobre o que eu lia. Não perdi a fé e nem me tornei agnóstico. Algumas reflexões dele fazem sentidos outras são típicas de um ateu convicto, mas valeu a leitura.  Na seqüência li algo mais light; Para Ser Grande de Marina Vidigal – Editora Original. Conta histórias de sucesso de vinte empreendedores brasileiros que eu destacaria Washington Olivetto o publicitário – um bom livro, nada excepcional. Em fevereiro ganhei um livro cujo título – Oito Relatos Sobre Viver de Sofia Débora Levy – Editora Relume Dumarã; relatos sobre sobreviventes do holocausto que foram acolhidos no Brasil – não preciso lembrar o quanto é emocionante ouvir as histórias destes homens e mulheres que sobreviveram às atrocidades do Führer. Depois vieram na seqüência livros belíssimos que me deram muito prazer:
Sidarta de Hermann Hesse
Meu Pai Carpinteiro de Kenny Kemp
Uma Breve História do Relacionamento Amoroso de Malcolm Montgomery
O Guardião de Memórias de Kim Edwards
A Menina que Roubava Livros de Markus Zisak
O Jogo do Anjo de Carlos Ruiz Zafon
A Última Grande Lição – O Sentido da Vida de Mitch Albom
Uma Cabana no Céu de Fouad El-Khoury
Os Catadores de Conchas de Rosamunde Pilcher
Adeus China – O Último Bailarino de Mao de Li Cunxin
E Finalmente Para Que Serve Deus de Philip Yancey. Destes últimos onze livros seria muito difícil destacar algum mas ousaria mencionar dois de modo especial; O livro de Mitch Albom – história real de Morrie Schwartz e seu aluno que emocionou os americanos na década de noventa. O segundo livro que destacaria – Li Cunxin autobiografia do jovem dançarino chinês que hoje vive exilado nos EUA.
Se recomendo algum? Todos!

Nenhum comentário:

Poverello de Assis

Oração de são franscisco



Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz !Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão, Onde houver discórdia, que eu leve a união, Onde houver dúvidas, que eu leve a fé, Onde houver erro, que eu leve a verdade, Onde houver desespero, que eu leve a esperançaOnde houver tristeza, que eu leve a alegria, Onde houver trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, Pois é dando que se recebe é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a VIDA ETERNA !


Esta oração foi feita após o pedido de clemência do papa Inocêncio III "arrependido" pelas cruzadas e muito enfermo. Francisco, duvidando de seu arrependimento, fora chamado a atenção pelo Pai pedindo piedade ao agonizante. São Francisco atendeu o pedido, admitindo humildemente sua ignorância.

Às vezes nos limitamos a reclamar da vida - vejam um exemplo de superação.

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget