terça-feira, 28 de junho de 2011

A Memória do Povo

Fazer juízo sempre foi muito difícil. Nas sagradas escrituras aprendemos a evitar o juízo pelos riscos que representam. Não falo aqui dos riscos pessoais digo; de sermos julgados. Falo dos possíveis erros de juízo e suas consequências na vida dos outros. Dito isso, vamos ao que interessa. O sujeito ao que tudo indica tramou a morte da amante. Investiu na morte macabra da mãe do próprio filho. Causou a comoção de um pais inteiro. Preso, aguarda julgamento. O tempo passa e, haja tempo diga-se de passagem. Tempo é coisa estranha e difícil de entender. Às vezes ajuda às vezes atrapalha e outra vezes torna-se um desastre. Voltando a falar do tal sujeito, me vem uma questão ainda sem resposta. Será que o tempo vai ajudá-ló? A depender dos últimos acontecimentos; mais uma das trapalhadas das nossas autoridades ele vai se dar bem! Tentativa de extorsão engendrada por uma dupla de desastrados...que vergonha!!! Que coragem!
Seria tudo uma brilhante estratégia da defesa? Teria algum fundamento a acusação? E a opinião pública, o que pensa a respeito? Ah já sei, você irá dizer que o povo esquece. Povo sem memória esse povo brasileiro. Basta um assunto novo para apagar o assunto antigo e, se envolver uma " celebridade", melhor ainda. Na TV ao lado da atual namorada - corajosa - bem que tentou comover o povo. "Quero sair da cadeia pela porta da frente". No Brasil essa frase é não tem o efeito esperado por ele. Quantos traficantes não fizeram o mesmo - sair pela porta da frente? Certo amigo me disse quando falávamos sobre os bombeiros que o clamor popular pode fazer grande diferença mas em alguns casos isso é apenas meia-verdade. Oxalá as autoridades tenham o bom senso jurídico e não permitam que está morte acabe impune.

Nenhum comentário:

Poverello de Assis

Oração de são franscisco



Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz !Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão, Onde houver discórdia, que eu leve a união, Onde houver dúvidas, que eu leve a fé, Onde houver erro, que eu leve a verdade, Onde houver desespero, que eu leve a esperançaOnde houver tristeza, que eu leve a alegria, Onde houver trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, Pois é dando que se recebe é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a VIDA ETERNA !


Esta oração foi feita após o pedido de clemência do papa Inocêncio III "arrependido" pelas cruzadas e muito enfermo. Francisco, duvidando de seu arrependimento, fora chamado a atenção pelo Pai pedindo piedade ao agonizante. São Francisco atendeu o pedido, admitindo humildemente sua ignorância.

Às vezes nos limitamos a reclamar da vida - vejam um exemplo de superação.

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget