sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Faz de Conta!

Tanto alarde se fez durante as últimas eleições sobre as UPP´s. Todos senão quase todos os candidatos abraçaram este projeto como sendo o estado da arte para resolver a questão da violência e do tráfico de drogas na cidade do Rio de Janeiro quiçá em todas as outras grandes metrópoles brasileiras. Fico imaginando os traficantes assistindo televisão e ouvindo a matraca dos políticos – muitos deles fichas sujas – metendo a língua nos meliantes. É bem verdade que falamos como se estes caras não assistissem a TV – muita pretensão nossa! O desejo de nos ver livre desta praga é tamanho que ficamos cegos à cretinice e ineficácia deste projeto. Vejamos da seguinte forma amigos; você chega em casa e encontra uma verdadeira bagunça – sujeira por todo lado, restos de comida espalhados pelo chão, tudo fora do lugar, muita poeira enfim um caos. Era de se esperar que arregaçasse as mangas em partisse para uma faxina geral certo? Mas ao contrário, você não esta com disposição; mas sabe que vai receber visita nas próximas horas e a casa não poderá ser encontrada desta forma. Muito esperto que é – curso superior, MBA, especializações e visitas a outros países; você pega uma vassoura e se põe a jogar tudo para debaixo do tapete – isso mesmo debaixo do tapete! Acabou com a sujeira? Não, ela continua na sua casa e a qualquer momento alguém poderá mexer nos tapetes a sujeira se espalhará pela casa novamente. Pois bem caros amigos me parece que a essência deste projeto é esta. Não enfrentar o problema, mas “empurrá-lo” para o lado. A grande questão é saber onde será o lado e as conseqüências advindas desta “limpeza”. O local da limpeza sabemos – A Cidade Maravilhosa – que a continuar as ocupações dos morros e comunidades de fato terão um aparente sossego e certa paz. Mas os traficantes não deixarão de existir, os viciados em drogas também continuarão necessitando de comprar as drogas. Será uma questão de logística. Terão de andar um pouco mais e isso não chegará a ser problema, pois a grande clientela da classe média tem carro e irá até onde a droga está. Observem que nas ocupações não se tem feito grandes prisões e sim “expulsões” – os traficantes “fogem”. Nas cidades no entorno do grande Rio já é comum a seguinte afirmação: “Estão mandando os traficantes para cá, quero só ver no que vai dar isso”. Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Nilópolis, Niterói, São Gonçalo citando as mais populosas, arcarão como ônus deste projeto. Será que nas mentes brilhantes dos nossos governantes imaginam expulsar os meliantes para outros estados? A verdade é que até lá os grandes traficantes – velhos conhecidos da cúpula da polícia carioca empreenderão ações articuladas de retaliação para compensar eventuais prejuízos aos seus “negócios”. Já começaram os arrastões pela cidade. Com requinte de crueldade e cinismo, algumas vidas serão ceifadas. Esse será o preço por uma limpeza mal feita! Amigos, tudo isso mais parece um acordão – “vejam senhores traficantes, teremos uma Copa do Mundo de Futebol e na seqüência uma Olimpíada – temos que conviver harmoniosamente então por ora vocês terão que sair – tudo bem pra vocês?” Mesmo esperneando eles estão saindo. Quarenta minutos a mais quarenta minutos a menos não faz tanta diferença num “negócio” tão rentável como o tráfico de drogas. Se não somos suficientemente inteligentes e capazes só nos restas estes artifícios. E graças a Deus que eles ganharam a eleição senão correríamos o risco de ver este brilhante projeto na gaveta. Até quando o governo brasileiro adiará a decisão de tratar esta questão com a seriedade que merece? Um grande projeto nacional começando pelo fechamento das nossas fronteiras, pela LIMPEZA e UNIFICAÇÃO das nossas polícias, por ações diplomáticas juntos aos nossos vizinhos que alimentam o tráfico no Brasil com certa dose de conivência, com o envolvimento sim das forças armadas, pois trata-se da soberania nacional ameaçada, pela entrega dos grandes presídios federais à iniciativa privada que farão esses monstros produzirem para comer desonerando a população brasileira, por um grande plebiscito sobre a pena de morte para traficantes irrecuperáveis entre tantas outras medidas. Finalmente nos resta também uma saída “harmoniosa” para conviver com tudo isso. Se você pode, tem condições, fuja e vá viver em uma cidade de interior – pequena e pacata aí você ganhará um tempo de paz e sossego. Se não tem condições, reze, mais reze muito.

Nenhum comentário:

Poverello de Assis

Oração de são franscisco



Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz !Onde houver ódio, que eu leve o amor, Onde houver ofensa, que eu leve o perdão, Onde houver discórdia, que eu leve a união, Onde houver dúvidas, que eu leve a fé, Onde houver erro, que eu leve a verdade, Onde houver desespero, que eu leve a esperançaOnde houver tristeza, que eu leve a alegria, Onde houver trevas, que eu leve a luz. Mestre, fazei que eu procure mais consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado, Pois é dando que se recebe é perdoando que se é perdoado e é morrendo que se vive para a VIDA ETERNA !


Esta oração foi feita após o pedido de clemência do papa Inocêncio III "arrependido" pelas cruzadas e muito enfermo. Francisco, duvidando de seu arrependimento, fora chamado a atenção pelo Pai pedindo piedade ao agonizante. São Francisco atendeu o pedido, admitindo humildemente sua ignorância.

Às vezes nos limitamos a reclamar da vida - vejam um exemplo de superação.

Loading...
Ocorreu um erro neste gadget